Belfort encara pressão para escapar do limbo no UFC

MMA Ultimas Noticias  

Com mais de 16 anos de carreira como lutador profissional de MMA – na verdade, suas primeiras lutas foram no antigo vale-tudo – Vitor Belfort chega ao UFC São Paulo em uma situação, no mínimo, incômoda. De um lado, ele é o maior astro do evento. Do outro, pode se ver em um limbo em relação ao futuro de sua carreira dentro do Ultimate.

A primeira parte é mais fácil de explicar: Com tanto tempo dentro do esporte, além de dois títulos no UFC, ajudou a formá-lo. É um embaixador do esporte no Brasil e conta com uma enorme base de fãs, algo que só tempo pode formar. Ele é o motivo para a maioria dos torcedores irem ao ginásio do Ibirapuera no próximo sábado.

No entanto… Dana White já explicou que o carioca não tem mais o que vislumbrar em termos de títulos. Dificilmente Vitor Belfort voltará a disputar um cinturão do UFC. O que deixa a situação ainda mais estranha é o fato de que seu rival no card, o inglês Michael Bisping, já tem garantida uma luta contra o campeão dos médios Anderson Silva em caso de vitória.

Mas por que, Dana White, isso não acontece com o Vitor? “Belfort e Anderson já se enfrentaram e já vimos o que aconteceu. Ele precisou de poucos minutos para conseguir um nocaute. Não faz sentido termos essa luta de novo”, explicou Dana White. Aquele chute frontal histórico, em fevereiro de 2011, foi muito pesado para Belfort.

Outro caminho que poderia seguir é o de tentar o cinturão dos meio-pesados, o qual ele já teve, mas ele acabou de perder para Jon Jones nessa disputa em outubro passado. Mais que isso, ele quer ficar nos médios. Para disputar o cinturão da categoria novamente, apenas quando Anderson deixar de ser campeão. Ou seja, deve demorar um bom tempo ou nunca acontecer.

Mas ele tem uma chance: ter uma grande atuação contra Michael Bisping. Se ele der show no Ibirapuera no próximo sábado, fizer uma atuação convincente, ele volta a ter a chance de uma revanche contra o Spider. É um caminho que ele pode traçar a partir de sábado.

Aos 35 anos, ele adotou um diálogo de não falar sobre o futuro. Ele comenta apenas suas próximas lutas. Vitor apenas diz que quer grandes desafios nessa reta final de carreira. Ele busca grandes lutas, que o motivem a continuar no octógono. Esse é o caminho mais provável, grandes lutas, que precisem de grandes nomes, mas sempre longe de uma disputa de título.

 

Fonte: http://nagradedomma.blogosfera.uol.com.br/2013/01/16/astro-do-ufc-sp-belfort-vive-pressao-por-boa-atuacao-para-fugir-do-limbo-em-fim-de-carreira/


Deixe seu Comentário:

]]